A dor lombar é um dos problemas na coluna que atinge o maior número de pessoas no mundo todo, sendo também uma das principais causas de afastamento do trabalho.

Investir na prevenção, como mostra essa Revisão Sistemática realizada pelo JAMA – Jornal da Academia Americana de Medicina, praticando exercícios físicos e tendo uma alimentação saudável é a maneira ideal de manter a coluna saudável.

Ainda assim, não há como garantir que não passaremos por um episódio de dor na lombar durante a vida.

Caso isso venha a acontecer, algumas medidas simples podem ajudar a aliviar os sintomas causados por esse tipo de problema.

Localização da coluna lombar

A coluna lombar fica na parte mais baixa da coluna, entre a coluna torácica e a sacral.

Ela é composta por 5 vértebras lombares, designadas com a letra L, são elas:

  • L1
  • L2
  • L3
  • L4
  • L5

coluna lombar

Sintomas da dor na lombar

Muitas vezes os pacientes chegam no consultório apresentando sintomas como:

  • Queimação;
  • Sensação de “choque”;
  • Incapacidade de ficar de pé;
  • Irradiação da dor para as pernas (ciatalgia).

Há casos em que a pessoa fica literalmente “travada”, sem conseguir se movimentar livremente. A dor lombar pode causar uma dor intensa, que pode ser incapacitante.

Os 2 tipos de dor na lombar

A dor na região lombar (também conhecida como lombalgia) é localizada na região mais baixa da coluna e costuma se manifestar de duas maneiras:

  • Dor lombar aguda: a dor aparece subitamente (geralmente após um esforço físico) e pouco tempo depois desaparece;
  • Dor lombar crônica: a dor permanece por mais de uma semana, podendo durar meses.

No caso da dor na lombar aguda, que ocorre de maneira súbita, decorrente de um “mau jeito” ou de exercícios pesados, causando uma dor aguda e intensa – a dor costuma desaparecer em alguns dias, e geralmente não requer tratamento médico.

Já a dor lombar crônica, apesar de ser menos intensa, pode permanecer por várias semanas e requer tratamento médico.

Esse tipo de dor costuma acometer a população com idade mais avançada e pode ser tratada através de procedimentos minimamente invasivos, como mostra essa Revisão Sistemática realizada pelo Springer.

Dor lombar: lado direito ou lado esquerdo?

Muita gente se pergunta se existe diferença entre a dor na lombar do lado direito ou do lado esquerdo.

Na verdade, a dor lombar pode ocorrer em ambos os lados, ou apenas em um dos lados.

Não há diferença entre a dor lombar do lado direito ou do lado esquerdo.

No entanto, é importante conhecer quais são as causas de dor na lombar.

Causas

1. Idade

Ao longo do tempo, os ossos, os discos, os ligamentos e as articulações começam a mudar.

Com o passar dos anos (a partir dos 30 anos para sermos mais precisos), nos tornamos mais propensos a sofrer de dor lombar, além de outros problemas na coluna.

A partir dos 40 anos, a maioria das pessoas já possui alterações degenerativas na coluna e podem sentir dores na lombar devido ao desgaste da cartilagem das articulações. (que podem inflamar devido ao aumento do atrito entre as vértebras).

Da mesma forma, os discos (as estruturas que servem como amortecedores entre os ossos da coluna) tendem a desidratar, diminuindo de tamanho e se tornando incompetentes para absorver os impactos do dia a dia.

Quando essas alterações são mais graves, as articulações podem crescer (hipertrofia) e comprimir nervos, podendo causar dores principalmente para ficar em pé.

2. Hérnia de disco

Outra causa frequente de dor lombar, é a hérnia de disco.

A hérnia de disco acontece quando a parede do disco não consegue segurar o conteúdo interno, podendo haver deslocamento deste para fora do espaço discal e a compressão de um ou mais nervos que correm para as pernas.

Nesse caso, a dor irradia para pernas e virilha e é chamada de ciática ou ciatalgia. (dor lombar acima das nádegas, dor lombar perto da bacia, dor lombar perto dos rins).

3. Tensão ou distensão muscular devido ao uso excessivo

No entanto, a imensa maioria dos casos de dor lombar resulta de tensão ou distensão muscular.

As principais causas são:

  • Uso excessivo;
  • Má postura;
  • Levantamento de pesos excessivos (como uma mala ou caixas pesadas).

Se a dor não é incapacitante, o melhor a fazer é pegar leve por uns dias e ver se a dor passa por conta própria.

Se a dor não passar após três ou quatro dias, então é hora de ver um médico.

Como aliviar a dor na lombar

Dependendo da fonte de sua dor nas costas e sua gravidade, você pode tentar alguns remédios caseiros para dor lombar para ajudar a aliviar a dor até a sua plena recuperação.

Aqui estão as principais opções:

1. Bolsas de gelo

Imediatamente após e nos primeiros dois dias após uma lesão é melhor usar compressas frias ou um pano envolvendo algumas pedras de gelo,e não de calor. Isso pode aliviar a dor por anestesiar os nervos da área afetada e prevenir ou mesmo reduzir o inchaço.

DICA: Não passe de 20 minutos com compressas frias ou gelo.

2. Bolsas de calor

Nos casos crônicos e após 48 horas após o início da dor, a aplicação de calor pode ser mais útil. O calor acalma e relaxa os músculos doloridos e aumenta o fluxo sanguíneo, o que ajuda o processo de cicatrização.

DICA: Uma garrafa PET com água quente pode servir de bolsa

3. Massagem

A massagem relaxa a musculatura e libera endorfinas que aliviam a dor. Você pode pedir para um familiar apertar a musculatura da região ou mesmo usar uma bola de tênis em baixo do corpo para apertar os músculos que se encontram tensos.

4. Alongamentos

Alongamentos ajudam a relaxar a musculatura e principalmente evitam que os músculos fiquem muito rígidos, o que pode causar mais dor.

5. Repouso relativo

Cama já foi o principal tratamento para dor nas costas mas caiu em desuso e é contra-indicado pois pode causar mais dores. Os médicos agora sabem que o melhor é se manter em movimento, para que seus músculos não se atrofiem no período que você fica menos ativo por causa da dor.

DICA: Cama só para dormir e durante o dia não mais que algumas poucas horas. Alterne a posição sentada e em pé e fique na cama só se for impossível andar ou sentar.

6. Atividade física

Se a atividade física não te causa dor, não há motivos para suspendê-la. Atividade física ajuda a construir músculos fortes e flexíveis e pode favorecer a cicatrização de lesões. Mas se você sente dores durante ou após os exercícios é melhor suspendê-los até a dor passar e conversar com um profissional para te ajudar a adaptar os exercícios.

DICA: Caminhadas são uma forma excelente de retorno à atividade física. Inicie com distâncias curtas e em terrenos planos. No começo, alterne alguns metros caminhados com alguns minutos sentados (parques são o local ideal para encontrar bancos).