Estenose Espinhal Lombar e Cervical

Conheça as causas, os sintomas e os tratamentos para estenose lombar e cervical

O que é a Estenose  Espinhal?

A estenose espinhal ou estenose de canal é uma doença da coluna que ocorre devido ao estreitamento do canal da medula, por onde passam os nervos, levando a compressão da própria medula e das raízes nervosas.

Estenose, do grego stenōsis, designa qualquer estreitamento de uma passagem no corpo. 

Estreitamento do Canal Vertebral

O canal vertebral é o canal por onde passam os nervos que conectam as informações do cérebro com o resto do corpo, ele tem duas funções importantes:

  • Permitir que os nervos se movimentem ao mexermos o nosso corpo
  • Permitir a circulação sanguínea local

O estreitamento do canal vertebral decorrente da estenose de canal acarreta na compressão dos nervos no interior do canal vertebral.

Conheça as Causas

A estenose no canal da medula vertebral pode ocorrer devido a fatores genéticos, ou, como é mais frequente, em decorrência de processos degenerativos, como:

  • Abaulamentos discais
  • Artroses
  • Osteofitoses (bico de papagaio)
  • Hipertorfia dos ligamentos internos da coluna
  • Escorregamento das vértebras (espondilolistese)

O que é o Ligamento Amarelo?

Assim como outros ligamentos da coluna, o ligamento amarelo serve para dar estabilidade para a coluna vertebral. Em casos de sobrecarga, instabilidade na coluna ou movimentação excessiva, ele pode hipertrofiar ou espessar, acarretando em estenose de canal

Fatores de Risco

Veja alguns fatores que podem colaborar com os processos degenerativos na coluna vertebral:

  • Má postura
  • Envelhecimento
  • Movimentos inadequados e repetitivos
  • Excesso de carga
gráfico-estenose

Perceba como o estreitamento do canal da medula acaba causando uma compressão nos nervos no interior do canal.

Sintomas

Dores nas panturrilhas, nas coxas ou nos glúteos também são comuns em casos de estenose de canal, sendo que esses sintomas são mais intensos na posição em pé e aliviados quando sentamos ou deitamos.

Outros sintomas de estenose de canal são:

  • Dormência
  • Perda de força
  • Sensibilidade alterada
  • Limitação dos movimentos
  • Instabilidade da coluna
  • Dificuldade de andar

Sintomas de Estenose Cervical

A estenose cervical pode causar sintomas de fraqueza ou dormência nas mãos e braços, além da diminuição de força.

  • Dormência nas mãos e braços
  • Diminuição de força

Sintomas de Estenose Lombar

A compressão dos nervos na região da coluna lombar causa dor intensa na posição em pé – os sintomas são atenuados na posição sentado.

  • Dor lombar
  • Dor irradiando para as pernas
  • Alteração na forma de caminhar

Claudicação Neurogênica

Em alguns casos de estenose de canal, ocorre o que se costuma chamar de “claudicação neurogênica” – que pode ser notada em pacientes que sentem a necessidade de sentar após caminhar por um curto período de tempo. Em alguns casos, o paciente, na impossibilidade de sentar, se vê “obrigado” a fletir o corpo para frente, com o objetivo de abrir espaço no canal medular, descomprimindo a medula e as raízes nervosas, proporcionando alívio temporário para a dor nas costas.

Diagnóstico

O diagnóstico de estenose deve ser realizado por um médico especialista em coluna, e inclui:

  • Histórico de saúde
  • Exame clínico
  • Exames de imagem, como raio-x, ressonância magnética, tomografia computadorizada, exames eletroneurofisiológicos (ENMG)

Tratamento

O tratamento para estenose de canal pode incluir medicamentos:

  • gabapentinóides;
  • antidepressivos;
  • analgésicos;
  • antinflamatórios.

Pode também incluir fisioterapia, como o objetivo de estabilizar a coluna e melhorar a postura, preparando o paciente para a realização de procedimentos minimamente invasivos:

  • Bloqueios – bloqueio transforaminal guiado por fluoroscopia;
  • Procedimentos – retirada do ligamento amarelo ou espaçadores interespinhosos;
  • Rizotomia por radiofrequência;
  • Laminectomia descompressiva simples;
  • Descompressão com artrodese – caso múltiplos níveis estiverem envolvidos ou no caso de instabilidade do segmento afetado.